Sobre terapia

Vale à pena fazer terapia?
Sim, mas apenas para aquele que procurou o terapeuta por ato voluntário e espontâneo. Ir por que a tia mandou, a mãe obrigou ou o esposo exigiu, nestas condições, a terapia pouco trará benefícios ou nenhum. Aliás, é recomendável não vir à terapia se o motivo não for à busca voluntária de se conhecer por meio do auxílio do terapeuta.

No que a Psicanálise difere das outras correntes de psicoterapia?
Em linhas gerais, o olhar psicanalítico não tem o objetivo de apontar o que o paciente necessita fazer para entender seus porquês, e, sim, pensar e refletir juntos, levando-o a fazer leituras de sua vida por ângulos que ainda não observou.

Assim, por meio da análise, pelo olhar investigativo da história do todo da pessoa, sem ignorar os pequenos eventos, por mais insignificantes que sejam, é que a terapia psicanalítica procura montar e decifrar a história do paciente, como alguém em busca ávida das peças exatas para o encaixe perfeito do quebra-cabeça.

Qual o bem produzido pela terapia?
Terapia é para aquele que decidiu se descortinar e entrar nos bastidores do teatro de sua própria representação na vida. É altamente recompensador ser sabedor dos seus próprios limites, dar nome aos meus medos, reconhecer os meus fantasmas, e com este processo de enfrentamento, com o tempo, não me tornar mais refém de medo algum, insegurança alguma.

“Porque quando estou fraco então sou forte” (Paulo, o Apóstolo Bíblico)